c.e.m

Pessoas do c.e.m

Isadora Dantas

Isadora Dantas nasceu em 1995 na cidade de Marília, a quatrocentos e quarenta e cinco quilômetros de São Paulo. Ali começa a tecer seu caminho com a dança ainda criança em aulas de ballet clássico acompanhada por sua mãe, a bailarina e artista Leila Ortiz. Dançou jazz e sapateado com diversos profissionais e atuou em festivais competitivos de dança em diferentes estados brasileiros, experiências que vieram a ensinar quaisquer coisas sobre performatividade. Em 2013 inicia a graduação em Comunicação das Artes do Corpo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC).

Em 2015, então com dezenove anos, mergulha no trabalho de acompanhamento de jovens a partir dos doze anos na Creche Tiãozinho em São Paulo, numa prática de três anos de encontro e de invenção continuada que impulsionou um pequeno sonho de trabalho em Marília. Ali esteve ao longo de um ano (2017) insistindo em encontros de estudo teórico-prático em dança e a trabalhar como professora em aulas de ballet clássico com crianças de oito a doze anos. Em São Paulo também trabalhou como professora em aulas de ballet clássico com crianças, sob acompanhamento de Zélia Monteiro.

Em 2017 integra a formação O Risco da Dança (2017-2018) no c.e.m – centro em movimento em Lisboa, onde reside desde então. Segue caminhando lado a lado com o c.e.m, tendo atravessado o programa de formação FIA – formação intensiva acompanhada (2019) e o convite à prática imersiva em cidade-corpo, a Demora (2019).

Como performer esteve na criação demolições (São Paulo,2016), trabalho apresentado no âmbito de conclusão do curso em Artes do Corpo; em Cribles(São Paulo, 2016) de Emmanuelle Huynh, remontagem que integrou a programação do France Danse 2016; e no ajuntamento performativo Pátio – Como viver juntos mais que um? (Lisboa, 2018). Esteve por dentro do festival Pedras19 – Talvez o nada possa ser alguma coisa (Lisboa, 2019) com o convite dançado ponto de encontro para um encontro.