Notícias

Pedras20 | don’t feed the meaning

29.06.2020

Pedras20  | don’t feed the meaning

Pedras’20 | convite

Blog: www.pedras20.wordpress.com

Este é um ano extraordinário, é um ano que nos tira a continuidade do que já sabíamos e nos convida a exercitar o não-saber.

O Pedras, o trabalho continuado com as pessoas e os lugares de Lisboa tem sido um exercício de acompanhamento em intensidade das pessoas e dos lugares que faz este ano 15 anos! Na altura não sabíamos nada. Foi o Pedras que nos ensinou a avançar pelo não-saber e a perceber que o avançar não depende do saber para onde. Foi o Pedras que nos ensinou a escuta e a transformação que a demora na escuta (do outro e dos lugares) produz efeitos sensíveis que fazem abrir escolhas – de como queremos viver, que relações estabelecemos, que cidade queremos para nós, que lugares o corpo-habitante chama de seus e em que circunstâncias? 2020 está a convidar-nos a ouvir que a raiz dessas questões está muito mais atrás do que presença física na escuta das pessoas e dos lugares. Que ela começa a produzir-se nas intenções dos corpos existentes em direcção ao lugar que eles próprios criam para si. E que no entanto segue sendo através delas que se continua a fazer cidade. Mais uma vez é o não-saber que nos tem ajudado. A encontrar o “por onde” as reverberações dessas questões podem continuar a fazer-se ouvir, não comprometendo a qualidade da escuta, nem mudando as questões que são a base do Pedras. Quando as co-presenças reverberadoras deixam de poder ser exercidas nos lugares físicos com as pessoas que os habitam, quando a rua deixa de ser um lugar de encontros e de demora, o Pedras deixa de ter uma janela-Festival por onde a vivência das experiências continuadas ao longo do ano é celebrada, para continuar a ouvir a insistência dessas perguntas na invisibilidade escutando como se estão dando a ver. Quando as linhas-mundo nos lançam no constante questionamento do aproximar-afastar físico dos corpos ressoadores queremos continuar a ouvir como o ressoar está na matriz da criação de cidade.
Ainda em 2019 enquanto mergulhávamos na experiência da rua, o Pedras segredou-nos que em 2020 se gostaria de chamar “Don’t feed the meaning”, não alimente os sinais, não engorde explicações-prontas impedidoras de movimento. Mal sabíamos nós que esses sentidos aparentemente estáveis estariam agora à deriva em correntezas muito mais fortes que eles. Que não nos agarremos aos destroços e confiemos na potência, insistência e resiliência das presenças vibrantes!
Este ano o Pedras’20 procura aproximadores. Como chegamos perto sem ter um onde? Como nos aproximamos sem haver uma janela temporal que nos diz quando se dá o que nos queremos aproximar? 2020 ensinou-nos a ter em conta estas perguntas enquanto cidade.
Neste mês de julho estaremos exercitando-as. Alguns na rua física, outros fazendo tombar essa rua física no seu constante pulsar-mundo. Cada um aproximando-se e com essa aproximação criando o quando e onde.
Gostávamos que nos contactassem para o e-mail: imunidadepoetica@gmail.com se se quiserem aproximar destas intensidades mais perto do nascer das perguntas. Talvez possam ser convidados para uma conversa que também aparecerá num link, talvez recebam documentações de corpos reverberando nos espaços, ou um convite a estar com eles como o encontro for possível. Talvez possam escrever um texto a várias mãos ou no próprio caderno mas em sincronicidade, mas sobretudo ser convidado a adentrar estas questões a partir da forma que se fizer possível e que inventaremos juntos.
Não percam também o blog do Pedras’20 – Don’t feed the meaning:
www.pedras20.wordpress.com
Vemo-nos em imunidade poética,
A equipa do c.e.m!!