c.e.m

Notícias

CEM VERÃO

18.06.2019

CEM VERÃO

CEM VERÃO

De 9 a 27 a 2 de Agosto

O Cem Verão é um ajuntamento de práticas diversas em dança, estudos do corpo, voz, corpo entre o estúdio o outros espaços no exterior, música ou encontros com crianças, que decorre de 9 de Julho a 2 de Agosto e marca o final da temporada de Formação, Investigação, Experimentação e Criação com o c.e.m – centro em movimento.

Numa oportunidade de encontro entre o trabalho dos profissionais do c.e.m, de outros convidados “desassossegadores” e de quem se quiser ajuntar destacamos as práticas de embriologia com Sofia Neuparth, num evento que integra Maria Belo Costa, Peter Michael Dietz, Pedro Ramos, Miguel Moreira e Maria Fonseca, Inês Ferreira, Mariana Lemos, Catarina Rodrigues, Carlos Canhameiro, Patricia Quirós, Denys Stetsenko e Paula Carrara.

 

Semana 1  |  De 9 a 15 de Julho

DAS PALAVRAS E DO CORPO

Com Maria Belo Costa
De 9 a 13 de Julho
Valor: 30€

Imagem de Play Bleu

Desejo um tempo / espaço aberto ao devaneio e à escuta de um corpo presente e que ecoa como poesia.

Persigo perguntas:

que poemas trazem escondidas as coisas? que danças trazem escondidas as palavras? que palavras estão dentro da minha dança? em que lugar moram as palavras da minha dança? as palavras da minha dança caminham entre o corpo e a voz?

Quebrar, abolir qualquer hierarquia que possa existir entre corpo e palavra, entre ver, pensar, sentir e fazer.

Abrir o corpo a um acontecer contínuo, sem princípio, sem fim, sem chegada ou partida.

Incluir num mesmo lugar observar e agir, onde estou quando falo ou quando me movo?

Trabalhamos com palavras nossas e com palavras de outros e assim navegamos os movimentos que nos atravessam o corpo.

Maria Belo Costa

Frequentou o curso de Formação de Actores da Escola Superior de Teatro e Cinema e o CEM – Centro em Movimento,  iniciando uma pesquisa sobre o corpo e o movimento. É diretora artística da Pé de Pano – Projectos Culturais, onde desenvolveu vários projetos de criação individualmente ou em parceria: ENTRETECER, MEDO DE SER MATÉRIA, DANÇAS A NASCER, OFÉLIA, O PORQUÊ DAS COISAS A PARTIR DE GARCIA DA ORTA e TRANSGREDIR. Dirige  com Sílvia Pinto Ferreira IDEÁRIOS e Sábados Contados.

 


 

BODILY ON THE BUTTON…
… A possible dance technique in practice… 

Com Peter Michael Dietz

De 9 a 12 Julho

Das 20h às 22h
Valor: 40€

Imagem de Play Bleu

Clear as water, pure as the air in a fresh summer morning… Listening to the sound of the day awakening…
Smelling the yourth-beginning of a new starting day…
The youthfull body of us all… Not an age thing…..

A breath of new air in our daily being alive…
Ready to attack and defend the moment of the move…
The space can be very generous….
Going through our body to discover a different possibility…
Listen to the pulsations existing by accepting certain codifyed ideas, Can be reorganised for a better and more construktive use…
We will make a scanning of simple, but effective exercises, which WILL make you want to dance more…. period!!
Morningdance for the day to be exelent….
A moment of your time to get our system alert and powerfull….
Hope to see you here…Pmd

Bio Peter: http://c-e-m.org/equipa/peter-michael-dietz/


 

EMBRIOLOGIA EXPERIÊNCIAL – PRÁTICAS DE CRIAR CORPO A PARTIR DO ESTUDO DA DANÇA E DA EMBRIOLOGIA

Com Sofia Neuparth

Dias 11, 12, 13 e 14 de Julho

das 16h às 20h
Valor: 100€

Toda a informação aqui: http://c-e-m.org/2019/05/06/embriologia-experiencial-praticas-de-criar-corpo-a-partir-do-estudo-da-danca-e-da-embriologia/

 


 

EMBRIOBAILE
Com Denys Stetsenko e convidados
Sábado dia 13 de Julho
Das 20h às 22h
Valor: 3€ (grátis para participantes na Embriologia)

Um baile de danças tradicionais com a escuta aberta aos movimentos que a embriologia encontra: rotações, espirais, trocas de lugar, geração de espaço,aproximação-afastamento, a dança contínua de existir.

 


 

Bambus, Conversas, Práticas 

Thembi Rosa

Práticas Parquear Bando

Sábado, 13 de Julho

13:30 às 15:30

Foto: Tarcisio de Paula

Experimentar a utilização dos bambus como um dispositivo para a desaceleração, equilíbrio e composição. Uma coreografia nômade, múltipla, e engajada em estabelecer itinerários conectivos, percebendo o próprio corpo, compondo com a cidade, com os outros e com tudo aquilo que nos atravessa.

Parquear Bando | Concepção: Margô Assis; Thembi Rosa e Convidados

Valor: 10€

 


 

Conversas MovimentoSonsImagens

Domingo, 14 de Julho

20h às 21:30

Partilhar vídeos, softwares para interação entre movimentos, sons e imagens, videoinstalações. Conversar sobre práticas de improvisação e composição em estreita relação com a música e artes digitais.

Entrada Livre

Thembi Rosa é artista, produtora e pesquisadora. Dedica-se a pesquisa em dança aliada as artes digitais, performances, instalações e acervos online. Vários trabalhos foram realizados em parceria com o duo musical O Grivo com foco na interação entre sons e movimentos. Integra o Dança Multiplex com o Parquear Bando em intervenções urbanas e a CasaManga em BH.MG.Brasil. Doutoranda em Artes pela EBA/UFMG, bolsista Proex/CAPES; Mestre em dança pelo PPG-Dança da UFBA. Em 2019, realizou o Motion Bank Lab Brasil com Scott deLahunta e com a participação de pesquisadores e coreógrafos convidados. Parquear Bando é uma das obras disponíveis na publicação online.

http://www.sdela.dds.nl/motionbank/brazillab2019/#/

https://cargocollective.com/multiplex

https://www.facebook.com/parquearmultiplex/

 

Semana 2  |  De 15 a 19 Julho

 

CICLOS DO O

CORPO EM CRIAÇÃO

(Entre o estúdio e o entorno natural)

Com Pedro Ramos

De 15 a 19 de Julho

Das 9h30 às 13h

Valor: 60€

Prática do movimento a partir de uma visão alargada sobre o Corpo enquanto unidade psico-física, como “um pedaço de natureza a ser conhecido”. Através do cruzamento entre a prática de Yoga, estudos alquímicos, a partir do trabalho
de Jung na sua relação com a Psicologia, Artes Performativas em particular a Dança e a Ecologia Profunda.

Pedro Ramos

Director Artístico da Ordem do O. Coreógrafo, Bailarino, Investigador, Artista Visual, Músico/Cantor, Professor de Dança e Hatha Yoga. É Licenciado pela Escola Superior de Dança e frequentou a Pós-graduação em Dança Movimento Terapia e Comunicação Não Verbal na UAL. Lecciona Análise e Técnicas de Composição na Escola de Dança do Conservatório Nacional e a disciplina de Corpo na licenciatura de Teatro na Escola Superior de Arte e Desing das Caldas da Rainha. É Aluno de Mestrado de Teatro do Movimento, na Escola Superior de Teatro e Cinema. Como intérprete tem trabalhado com vários criadores nacionais e internacionais entre os quais destaque: Madalena Vitorino, Clara Andermatt, Stephan Jurgans, José Laginha, Félix Lozano, Claudia Novua, João Lorenço, Luca Aprea, Silke Z., Ana Rita Barata, Sofia Belchior, Né Barros, João Brites e Paulo Ribeiro. Enquanto criador – Coexistência, Saindo do Escuro…,Minuto, VídeoDança 06; Room em colaboração e a partir do trabalho do artista plástico Noam Bem Jacocov; Memória de uma Origem, InAdega (co-criação com Sofia biografias Belchior), Órbita do cérebro na planta da mão; Atractor Estranho, Diário Métafisico, Quadratura do Espaço Curvo (work-in-progress) e Coniunctio (2017). Ao longo do seu percurso tem sido premiado e reconhecido várias vezes, quer a nível individual (melhor bailarino contemporâneo 2008 – Gala Dance Awards RTP1; Medalha de Mérito IPL- 2009; quer colectivo (Caruma, espectáculo de 2006; O Aqui, um dos espectáculos de 2009; Saga – Ópera extravagante, Globos de Ouro; Txt – 1º Prémio Experimenta Desing; Corpo Todo, 15º Caminhos Cinema Português; Menção Quixote 1º prémio SPA.)


 

ÚTERO
Arte-Processo-Espiritualidade

Com Miguel Moreira e Maria Fonseca

De 15 a 19 de Julho

Entre as 14h e as 18h

Valor: 60€

imagem de Helena Gonçalves 

Definir um processo. Os pontos que definem a estética em que queremos estar e trabalhar. Embora haja elementos desconhecidos que teremos sempre dificuldade em definir, traçar um caminho para um corpo que se movimenta e dança o mundo.

São Elementos centrais do nosso trabalho:

 

1- A água como elemento emocional. Têm uma componente dramática de resistência.

Perante os jatos de água as pessoas que vivem em palco tentam resistir e afirmar a sua condição humana no mundo. A água “usada” desde 1999 é um elemento que abre uma pesquisa que estamos a realizar sobre “uma ideia de paisagem” inscrita no livro de Ana Francisco Azevedo “ideia de paisagem”. A paisagem é uma identidade que abre a possibilidade de contemplação que nos permite pensar sobre o que nos é fundamental. Abre também a possibilidade sobre o tempo que tem relação com o “tempo” do

espetáculo e com a luz .

2- Os corpos. Os corpos neste imaginário estão invertidos ou soterrados. As pessoas em palco recuperam a verticalidade, mas nunca mais adquirem uma expressão quotidiana que tinham antes deste estado. Quando recuperam a verticalidade ganham elasticidade e é dessas “viagens” em palco que ganham sentido para pensar sobre um novo mundo e sobre as emoções. Os corpos não representam, vivem estados em sintonia com o espectador. Quando recuperam a verticalidade renascem noutro lugar, que é um lugar que lhes pertence, mas até então desconhecido.

3- A luz tem em si o lugar da contemplação. Os efeitos são lentos. As cores muito definidas. Estamos perante um espaço cheio de água e luz. O líquido em consonância com a luz é um vetor que nos abre espaços múltiplos na nossa mente.

4- A música é um tema central e que aglutina todos os outros. Por um lado, é um elemento perturbador, por outro lado sublinha e define todos os elementos em palco.

A peça é também uma pauta de música contemporânea onde cada intérprete tem decisões fundamentais para a construção da peça.

5- A escolha de intérpretes / cocriadores capazes de terem no processo do seu trabalho pessoal uma carga autoral. Com um trabalho sobre o seu corpo sólido fruto do trabalho com diferentes criadores que lhes permitiu um conhecimento sobre si coeso eestruturado.

6 – O “Estado” – Olhos fechados/Respiração profunda. Pequeno abanar da cabeça. Mostrar as mãos/Mostrar a respiração. Criar a nossa própria dança independente dos Movimentos

7 – Trance Dance e a respiração do fogo. Prática facilitada pela Maria Fonseca, aplicada à nossa metodologia. Ao mesmo que descobrimos quem somos no mundo de hoje, descobrimos também que matérias fazem sentido existir numa nova criação.

 

Miguel Moreira. 

Curso de Artes e Oficios do Espectáculo. 

Fez parte entre 1991 e 1997 do Colectivo de Teatro O Grupo, em Almada. Trabalhou em várias produções do colectivo Olho, no Espaço Ginjal. Participação em várias performances do Canibalismo Cósmico.

Colaborou com o Teatro O Bando desde 1996 – 2016. 

Trabalhou com encenadores como João Brites, João Garcia Miguel, Paulo Castro, Demarcy Mota, Claudio Hochman, Manuel Wiborg, António Pires, Tiago Rodrigues, Carlos Afonso Pereira, Ana Nave, João Perry, António Olaio, João Ricardo, João Sarabando, Teatro Praga, Susana Vidal, Tonan Quito – encenador com qual ganhou o prémio de melhor actor,  prémios atribuídos pela SPA em  2016, pela sua interpretação em Ricardo III. Foi nomeado para os “Globos de Ouro” para o mesmo prémio.

Na dança trabalhou com Vera Mantero, Olga Roriz, Teresa Simas, Rita Judas, Ana Borralho e João Galante, Rui Horta. 

Participação no Skite em 1994, trabalhos experimentais com Clara Andermatt e Alain Platel.

Como intérprete e criador apresentou espectáculos na Escócia, Inglaterra, Espanha, Itália, França, Alemanha, Colômbia, São Tomé e Principe, Dinamarca, México, Coreia do Sul,  Bélgica, Holanda, Suécia, Suiça, e em muitas cidades do País.

Foi actor assistente do espectáculo Peregrinação na Expo 98 tendo integrado como actor a máquina de cena do grupo alemão Titanic dirigida por Uwe Kolher.

Colaborou com o músico Pedro Carneiro e com a Orchestrutopica no espectáculo “Berio em sequência” e “Carta aberta a Pedro Carneiro”, com o músico Pedro carneiro e louis Sclavis.

No cinema trabalhou com Rodrigo Areias, Eduardo Guedes, Raquel Freire, João Botelho, Pedro Senna Nunes, Ivo Ferreira, Luis Fonseca, Paulo Rocha, João Nuno, Rodrigo Areias entre outros.

Organizou vários workshops e leccionou na escola onde teve a sua formação.

Fundou a Útero Associação Cultural em 1997 onde desenvolveu a sua identidade artística. Dirigiu espectáculos como “ 1999! E o pénis voador…”, Último Verão”, “Homeless”, “Na Rua”, “Parede”, a Ópera “Orfeu Ed Euridice”, “Duelo”, “Pele””Pântano” entre outros espectáculos. 

Foi responsável por vários sectores de actividade na associação.

O Útero foi nomeado para os prémios de melhor coreografia 2012, prémio atribuído pela SPA, com o espectáculo “The Old King” e o mesmo espectáculo foi selecionado para a programação oficial do Festival de Avignon 2012.

Desde esse espectáculo teve uma relação estreita com Romeu Runa e os espectáculos criados pelo Útero percorreram muitos teatros em Portugal e na Europa. Miguel Moreira e Romeu Runa, foram artistas associados do 104 em Paris entre 2012-2014 e a Associação Útero é uma estrutura associada do Centro Cultural Vila Flor desde o ano 2012 – Capital Europeia da Cultura Guimarães.

Dirigiu no Teatro O Bando com Bibi Gomes “De um lado Oculto” em 1999 e “Crucificado” com João Brites em co-produção co o Útero, com o qual ganhou “O Monstro do Ano” para o melhor espectáculo de teatro.

Estreou-se na encenação em 1997 no colectivo de Teatro O Grupo com o espectáculo “As maminhas de Tirésias…nós e o paollinaire”.

Em televisão fez parte do elenco da “Roseira Brava”, “Família Galaró”, “Cidade Despida”, “Pai à Força” e teve participações pontuais em várias séries e telenovelas.

 

Maria é uma bailarina e criadora portuguesa baseada em Londres nos últimos 9 anos. Formou-se no London Studio Centre, BA (Hons) em Teatro de Dança, onde desenvolveu uma dissertação sobre Espiritualidade e Dança, Desde a LSC, Maria já trabalhou com vários artistas como Nuno Silva, Jack Murphy- Victor Frankenstein Film, Ivan Blackstock para a Adidas, Lucie Punkhurst, Pascal Merighi e Sebastien Ramirez, John Ross, Mathew Bourne coreógrafo Awards, Protein Dance, Jean Abreu e Russell Maliphant-Nureyev An Orgy of On. O seu trabalho tem sido, Muladhara – para o Design for Dance, o Central Saint Martins 2010, o dueto do Red Tears com a artista ao vivo Ekin Berney e o IDADE, a beleza do envelhecimento, The Place.

O movimento de Maria tem sido influenciado por diferentes expressões como Flying Low, Fighting Monkey e artes marciais em particular a capoeira.

Maria tem sede de crescimento e criação e está animada com a imprevisível jornada que a dança a leva.

“Eu gosto de me sentir como uma tela aberta, capaz de incorporar e expressar livremente com outros artistas que buscam ir além de seus limites”. Maria

Trabalha com o Útero desde 2018. Participou na peça “Fraternidade I+II” e prepara a estreia do seu solo “Dentro”.

 


PEIXE CARACOL
Com Patricia Quirós na companhia de Catarina Rodrigues

Dias 17, 18 e 19 Julho

Das 18h às 19h

Valor: 25€

três sessões de sorrisos, danças-chuvas e movimento

no espaço c.e.m com pessoas pequenas a partir dos 3 anos :

num outro espaço, numa outra casa, num outro mar,

numa outra vassoura, num outro olhar

convidamos ao corpo, aos materiais, aos cabelos-fios

para estar connosco das 18h às 19h na impaciência de brincar a ser verão!

 


 

THE MAGIC BODY
A constant force of energy By moving….
Com Peter Michael Dietz
De 15 a 18 Julho

Das 19h30 às 21h30
Valor: 40€

Being curious and ready to explore the anatomic tricks, which exists in our body And mind….
Wandering through postures and to decompose them in the same time….
As human / animal / nature in general the stimulus to enter in different zones that we normally do / experience….

The mystery of being driven by the need to move and enjoy it !!
Giving space for the unknown…
The force of energy by moving in a complete and perfect notion of the magic Body in action…..
Come and challenge yourself….
You might enjoy it….
Wellcome to the castle of exploring…. Pmd

Bio Peter: http://c-e-m.org/equipa/peter-michael-dietz/

 

 

Semana 3  |  De 22 a 27 Julho

 

LABORATÓRIO DA [VOZ] – CORPO, SOM E ESCUTA E MOVIMENTO

Com Paula Carrara

De 22 a 26 de Julho

Das 10h às 13h

Valor: 40€ (até 15 Julho)

45€ (inscrições depois 15 Julho)

“[…] caminhar não é tanto ir de um lugar a outro, mas levar a passear o olhar.” (JORGE LARROSA)

Esse laboratório se debruça sobre a possibilidade de expandir os movimentos de [Voz Corpo], apoiado na presença e no encontro com o outro e na [Escuta] como principio que me convida a ser mais de mim mesma e ser além.

O programa dos encontros toca o campo da anatomia, da estrutura, do silêncio e do ruído, e joga com movimento, som e sentido. Serão encontros de busca por pistas acerca da relação [Corpo Voz] – o convite a uma reflexão sobre o encontro com o outro, no exercício de nos permitir o afeto e de existir com e para além de nós mesmos.

A prática, orientada pelo estudo de Respiração, Ressonância e Ritmo, parte da investigação e expansão das possibilidades individuais – tendo como princípio dissolver os bloqueios que nos impedem de nos conectarmos com a [Voz Corpo] plena  – e se dirige à exploração do ato expressivo e relacional de movimento, palavra e canto.

Paula Carrara (Brasil/1983)

Sou uma artista independente – criadora, atriz e performer – que explora abordagens contemporâneas de criação, com interesse particular no território do [Corpo] e da [Voz] e da performatividade da palavra.  Sou formada em Pedagogia do Teatro e Mestre em Artes Cênicas (ECA/USP), e em 2016 publico o livro [Corpo Voz Escuta] – reflexões sobre a prática do Ator (Editora Lamparina Luminosa). Trabalho como docente convidada no curso de graduação da Universidade de São Paulo, em escolas de teatro e espaços culturais no Brasil, França e Italia.

Desde 2007 tenho criado em colaboração com importantes artistas como Carlos Canhameiro, Cia. Das Atrizes, Georgete Fadel, João das Neves, Maria Tendlau e Les Commediens Tropicales.Sou formada em Pedagogia do Teatro e Mestre em Artes Cênicas na linha de Formação do Artista da Cena  (ECA/USP).  Atualmente desenvolvo o projeto ”Cassandra – a voice to find” – Mu.d Residenza Artistica (Nápoles/IT) e Kulturfactory Residency (Domicella/IT) e “Il Canto delle Donne dell’Asfalto”, montagem na Italia do texto de Carlos Canhameiro. Também assino a direção de “Elis Regina, com tutto Il mio rumore”, com Chiara Claudi.

Em 2018 crio e apresento a performance “(in)Movement – su quello che si move anche dentro”, (sobre o que se move também dentro) uma caminhada-audiotour realizada em Roma (Simpósio Feminismo e Espaço Urbano) e em Milão (Festival do Cinema Brasiliano – Agenda Brasi)l.

Coordeno  a Performance–Ocupação “Clarice: em cena”, realizada na Casa das Rosas (São Paulo/2013), o “Experimento Finnegans Wake”, uma parceria com a Cia. Estrela D’alva e Quarteto à Deriva, que aconteceu no Centro Cultural São Paulo (2013) e “Experiências do Não–Lugar” (2010), percurso sonoro–poético que explorava as possíveis narrativas da cidade. Sou também diretora de “O quarto do Barba Azul”, baseado no livro de Angela Carter e “ La Fora”, peça teatral que nasce do cruzamento entre narrativa oral e textos literários que tratam da idéia de enraizamento e pertencimento a um lugar.

Realizo o trabalho sobre a voz nos espetáculos “Origem/Destino”, projeto da Cia. Auto-retrato, “Ulisses, Molly, Bloom – Dançando para adiar”, da Cia. Estrela d’Alva, e “Quando Não Se Pode Fazer O Que Se Deve, Deve-Se Fazer O Que Se Pode”, da Cia. C.G.I. e coordeno o trabalho de voz na da oficina “Figuras do Cavalo-Marinho”, coordenada pela Cia. Mundurodá (Residência Artística na Câmara de Cultura – 2010). Artista convidada para desenvolver o trabalho de voz dos formandos em atuaçao da Fundação das Artes de São Caetano e também da SP Escola de Teatro. Realizo workshops sobre a voz na Oficina Cultural Oswald de Andrade, na Oficina Cultural Amázio Mazzaropi, no Teatro El Trebbo (Milao/IT), Apriti-Cielo (Milao/IT) e Les Frigos (Paris/FR).

Recebo em 2013 o apoio do Ministério da Cultura para participar de um workshop sobre a voz no Centro Roy Hart (França) e em 2008, contemplada pelo mesmo Programa, participo do III Encontro Pedagógico Internacional “Vocis Vocalis” sobre a voz em cena.

Participo de cursos e seminários com importantes artistas: Mohammed El Kathib, Enzo Cosimi, Mikhail Karikis, Silvia Rampelli, Thomas Richards, Maud Robart, Anatolij Vassiliev, Wania Storolli, Maria Thais, Antonio Januzzeli, Colletivo Cinetico, Rosita Mariani, Peter Michael Dietz, Lu Favoretto, Tica Lemos, Sandro Borelli, Francesca della Monica, Sabine Uitz, Chiara Guidi.


 

ENCONTRAR NO LIVRO OS GESTOS… 

(Laboratório de pesquisa de repertório de movimento) 

Mariana Lemos (dança) convida Carlos Canhameiro (teatro, escrita)

*ilustração de Carolina Meirelles 

De 22 a 26 de Julho

Das 14h às 18h

Valor: 40€

Imagem da ilustração de Carolina Meirelles

Há uns anos atrás recebi de presente este livro: O canto das mulheres do asfalto. Fiquei muito tocada e partilhei-o com algumas pessoas. Parece que dentro dele, as mulheres decidiram parar de dar a luz… não nascerá mais nenhum rebento na terra… Quem o escreveu é um amigo, o Carlos (Canhameiro). E agora ele estará em Lisboa para podermos ler, dançar, criar, pensar, re-criar esta escrita, esta urgência, este grito, última lufada de ar… Encontrar corpo nas palavras… Ouvindo em corpo, como um livro (des)faz-se gesto, dançando.

Mãos que encontrem a raiz

A gente sabe que tem barulho demais E a gente fala cada vez mais alto para asfaltar nossos corações Conseguimos

Não é poesia não Pode ser mas disso não interessa saber se sim se não se é não sei não ser então Não tem explicação não

Tem sim Hoje terá toda explicação Hoje seremos asfalto cobrindo qualquer emoção

Mariana (BR/PT) é mãe, artista da dança, bailarina, professora apaixonada, pesquisadora e aprendiz de produtora. Carlos Canhameiro (BR) é ator, dramaturgo, encenador e pai de dois filhos. Juntos convidam a uma semana de laboratório em corpo, pesquisa de movimento de repertório gestual, que nasce da relação da dança com a escrita, com as imagens, com o teatro e a performatividade. Como uma escrita pode instigar a geração de dança, de pensamento que nasce dançando… A escuta do texto na reverberação da palavras que fazem-se gesto. É uma urgência, um acontecimento-potência.

 


 

THE MAGIC BODY

SESSÕES DE TRIMMING THE AWKWARDNESS…

Com Peter Michael Dietz

De 22 a 25 de Julho

Das 19h00 às 21h30

Valor: 45€

Imagem de Luis Belo

Sessions of taking a new breath in relation to our body and time…
Being involved with testing our capacity of challenging the known as the unknown…dance…

Bio Peter: http://c-e-m.org/equipa/peter-michael-dietz/

 

Semana 4  |  De 29 de Julho a 2 Agosto

 

WORKSHOP CORPO PAISAGEM

Com Inês Ferreira

De 29 de Julho a 2 de Agosto
das 10h às 13h

Valor: 30€

Mais informações (horários e inscrições só para este workshop: mektoub612@hotmail.com e cemveraoinscricoes@gmail.com)

Navegando pelo imaginário da experiência fisical, o corpo sopra e é soprado por uma infinitude em movimento de paisagens em torno de feixes lumínicos (luz/obscuridade); tramas sonoras e membranas de temperatura; densidades gravitacionais no encontro com a gravidade do lugar; transparências num limiar de horizontes do (in)visível; profundidades (im)possíveis na impressão da grama do espaço na qualidade do tempo enquanto emergir do momento.

Dança e aparecimento nessa teia de deslize intemporal, lugar de vento, flutuação de memórias. Viagem pelo cais do corpo, matéria habitante de fantasmas, transmissão de paisagens algures.

Saborear a expansão do ritual da presença na imersão Corpo-Espaço. Espaço-Corpo. Encontro(s) por uma respiração energizante da pele à medula. Imagem de corpo i-n-t-e-i-r-o em porosidade entre a terra e o céu. Plenitude e (des)equilíbrio da matéria transformável e disponível. Lugar vazio. Lugar habitável. Corpo paisagem do desejo.

Dança e acon-tecimento íntimo na oscilação da matéria em movimento, o gesto que nasce nessa espera longínqua. Cintilar de um corpo na paisagem que cintila à volta. Partituras gravidade-intimidade, matéria e magnetismo.

As flutuações do ar atravessando a massa vértebro-corporal dão lugar a aparecimentos sinuosos na relação com as esferas do espaço. Imagens de voluptuosidade em torno da curva. Maré da respiração e ideia de pulsão vibratória na criação de corpo-ar-em-movimento. Paisagem e encontro ínfimo com o instante corpóreo.

Bio Inês: http://c-e-m.org/equipa/ines-ferreira/

 

 

Mais informações, valores, descontos e inscrições:

cemveraoinscricoes@gmail.com
21 8871763 – 91 9708336
c.e.m – centro em movimento
Rua dos Fanqueiros, 150 – 1.andar
1100-232 Lisboa