c.e.m

FIA

Fia-Investigação/Fiação nos estudos do Corpo do Movimento e do Comum      |         “scroll down for english”

Um tempo constituído por laboratórios de investigação artística com profissionais do c.e.m e convidados considerados pertinentes em relação à especificidade que se vai desenhando em cada temporada. Os laboratórios têm cerca de 5 horas diárias e a FIA decorre de Janeiro ao final de Abril.

A FIA é dedicada à prática dos estudos do Corpo, do Movimento e do Comum considerando duas vias que se aproximam/afastam ao longo do caminho: a prática performativa e a experiência de estarcom pessoas e lugares. A FIA propõe a afinação de percursos singulares criados no encontro com o Outro e com o Mundo.

A experiência da FIA dedicase ao questionamento de Corpo, o questionamento de Cidade, a experiência da Arte enquanto forma de Conhecimento e a Investigação Artística enquanto exercício no apuramento da matéria de Criação.

Tratase de um período dedicado a práticas diárias que se disponibilizam a apurar questões emergentes tanto no serestarfazer de cada indivíduo como no sercom, estarcom e fazercom de um conjunto de singulares.

A partir deste exercício materializarseão linhas de investimento próprio necessárias para a consideração da elasticidade, rigor e clareza tanto de propostas formuladas por outros investigadores como de propostas afinadas por cada fiador.

A FIA é Corpo e esse corpo insiste em aparecer em diversas formas como a escrita, a dança, a fala, ou qualquer outra forma que se ajuste, ressoando na especificidade do fazer da criação, da documentação ou da comunicação.

O processo de candidatura está integrado do tempo de mergulho e é demorado e conversado. Não estamos interessados em construir formulários de apreciação pelo que nos dispomos a dedicar tempo de qualidade à consideração de cada proposta. Tornase assim evidente que nos interessa ir recebendo candidaturas em desenvolvimento que serão ajustadas ao longo destes meses de conversa.

 

————–

Fia-research/ Weaving in the studies of Body of Movement and of the Common

 A time dedicated to artistic research laboratories with c.e.m professionals and guests considered relevant in relation to the specificity that is being drawn in each season. The laboratories have about 5 hours a day and the FIA ​​runs from January to the end of April.

The FIA ​​is dedicated to the practice of Body, Movement and the Common studies, considering two paths that approach / move along the path: the performative practice and the experience of being with people and places. The FIA ​​proposes the tuning of singular paths created in the encounter with the Other and with the World.

The FIA ​​experience is dedicated to the questioning of Body, the questioning of City, the experience of Art as a form of Knowledge and Artistic Research as an exercise in the nourishment of the matter of Artistic Creation.

It is a period dedicated to daily practices that are available to ascertain emerging issues both in the existing-being-doing of each individual and in existingwith-beingwith-and-doingwith within a common experience of singularities.

This exercise will materialize own investment lines necessary for the consideration of the elasticity, rigor and clarity of proposals made by other researchers as well as those arising from each “weaver”.

The FIA ​​is Body and this body insists on appearing in various forms such as writing, dancing, speech, or any other form that fits, resounding in the specificity of practicing creation, documentation or communication.

The application process is integrated in the time for diving and is long and conversational. We are not interested in building formularies of appreciation so we are willing to devote quality time to the consideration of each application. It is thus evident that we are interested in receiving applications “in process” that will be adjusted during these months of conversation.