c.e.m

DEMORA

DEMORA – Experiência da Cidade em Corpo, Residência de Investigação Artística a decorrer de 1 de Maio a 28 de Junho de 2019

DEMORA – Experiência da Cidade em Corpo, Candidaturas abertas de 1 de Novembro a 15 de Dezembro de 2018. Resposta a 18 de Dezembro de 2018

A DEMORA é uma Residência de investigação artística que acolhe entre 5 a 6 profissionais (artistas/investigadores) que desenvolvem trabalho de corpo (dança\escrita\teoria crítica…) a partir da vivência com a cidade.

A DEMORA terá a duração de dois meses e inclui 5 horas diárias de práticas a solo na rua (parte desse exercício de escuta-acção é acompanhado pelos orientadores) 3 horas semanais de práticas em conjunto na sala branca – estúdio do c.e.m, pontualmente acompanhadas pelos orientadores, 2 horas semanais de orientação um-a-um com uma das orientadoras.

A DEMORA propõe-se permitir a um conjunto de investigadores artísticos um adentramento na especificidade do trabalho do c.e.m na relação com pessoas e lugares e a geração de material de criação e\ou documentação em dança, escrita ou outro suporte, emergente dessa experiência imersiva.

A DEMORA tem início a 1 de Maio e estende-se até 28 de Junho com possível desenvolvimento posterior do trabalho emergente, conversado caso a caso.

O primeiro mês prevê a co-existência com o programa FIA –Formação Intensiva Acompanhada com toda a riqueza que daí advém. As primeiras duas semanas estarão desenhadas para a realização de caminhadas e poisios pela cidade de Lisboa, a solo ou entre Demoradores, no sentido de escolher ou ser escolhido por um lugar. A partir de 13 de Maio cada umaum é convidado-a a demorar-se 5 horas diárias com o lugar escolhido em solidão, que não é isolamento… os orientadores estarão presentes com cada umaum dos demoradores ao longo desses demoramentos. As 3 horas semanais na sala branca gostariam de ser momentos de habitar-com deixando os corpos trazerem à dança-fala-pensamento- escrita aquilo que estiver a fazer-se presente. As duas horas semanais de orientações um-a- um tomarão a forma falada-dançada-pensada que se tornar pertinente em cada momento. Haverá ainda a possibilidade de habitar a sala branca (estúdio na casa do c.e.m) em ajuntamentos de 1-2-3… conforme se fizer urgente.

As candidaturas são conversadas e pedem como abertura do encontro:
- uma bio, uma possível história de vida,
- um escrito considerando o que a/o move para integrar a DEMORA,
- um cv com notas que ressaltem a experiência anterior em práticas com lugares e pessoas.

O material deverá ser enviado para os seguintes emails: sofianeuparth@gmail.com, cem@c-e-m.org, margaridaragostinho@gmail.com, luzdacamara@gmail.com

Da nossa experiência de Estarcom a cidade não há encontro sem deformação e essa deformação implica o reajustamento, o deslocamento, a reconfiguração de todas as partículas envolvidas no encontro. É essa deformação do encontro que queremos convidar com a DEMORA. Se essa deformação se faz escrita ou dança ou se se adensa em pensamento ou se se faz em rede de afectos com as pessoas e coisas do lugar… não sabemos… o convite é estarcom escutante. E a escuta é acção!

Orientadores da DEMORA: Sofia Neuparth, Margarida Agostinho e Luz da Camara Custo total da residência de investigação artística: 400 euros